26 de fevereiro de 2009

Existem limites para a crueldade humana para com os animais? Parte 1

Parece não haver limites para a crueldade que alguns supostos humanos exercem sobre seres indefesos. Por incrível que pareça (a mim pareceu-me, apesar do que já vi, ainda me surpreendo com estas situações), alguém atropelou um caniche e colocou-o, ainda vivo, no contentor do lixo...
Fomos alertados para a situação por alguém que presenciou a situação. Deslocamos-nos ao local, em Arcozelo, e fomos ver o animal. Já o tinham retirado do contentor e constatamos que estava em choque e bastante ferido. Fomos rapidamente a um veterinário onde se confirmou a gravidade dos ferimentos e a impossibilidade de fazer o que quer que fosse pelo animal. Havia demasiadas lesões, a nível da traqueia e do esófago, e neurológicas também, para que fosse possível salvá-lo. Optamos pela eutanásia para que pelo menos não sofresse mais. Era um caniche macho, cinzento, com pelo tosquiado, já com bastante idade, e com os dentes de trás destartarizados recentemente. Infelizmente não tinha microchip para que pudéssemos localizar o dono. Se tiver perdido um animal com estas características entre em contacto connosco.
Não vamos aqui tecer comentários relativamente a este acto de cobardia de quem o atropelou e colocou no contentor do lixo, porque não vale de todo a pena. Gostaríamos apenas de alertar para que, se alguém se deparar com este tipo de situação, o que deve fazer. Em primeiro lugar anote por favor a matrícula do carro. Por lei quem atropelou o animal têm de lhe prestar assistência. Depois desloque o animal, o mais cuidadosamente possível e com a menor quantidade de movimento possível, para fora da estrada. Não lhe mexa sem ser absolutamente indispensável. Poderá sem querer agravar as lesões! Tenha cuidado porque um animal ferido pode morder devido ás dores e ao medo. Precaveja-se para não ser mordido/arranhado. Pode, se conseguir, improvisar um açaime com um pedaço de corda ou de tecido, para que ele não consiga morder. De seguida contacte um veterinário da zona. Hoje em dia quase todos os veterinários têm urgências 24H. Peça indicações e ajuda. Não ignore um animal atropelado. A maior parte dos animais atropelados não morre do impacto, morre de hemorragias, de fome e sede, por não serem ajudados... Não deixe um animal em sofrimento na estrada.

1 comentário:

Sandra disse...

Que horror! As nossas leis tem efectivamente que mudar, de forma a punir com severidade as pessoas capazes de cometer semelhante sacrilégio. Lembro-me de que à cerca de 3 anos atrás, mudou-se um casal com duas filhas pequenas para o edíficio adjacente ao meu. Da minha varanda, conseguia observar a varanda dele. Para meu espanto, esse casal adquiriu um Rotweiler bebé e prendeu-o na varanda com uma coleira de um metro. O animal foi crescendo, acorrentando a uma grade, ao sol, à chuva, ao gelo, e nunca saiu à rua. Duas vezes por semana, faziam a limpeza da varanda, e com uma vassoura, atiçavam o pobre do animal. Fiz queixa a tudo que era entidades competentes, e todos me diziam a mesma coisa "está em propriedade privada". Felizmente, passados seis meses, eles mudaram-se de casa, e não soube mais o que aconteceu aquele lindo.
Depois fala-se em cães violentos...pudera com donos assim!