24 de janeiro de 2010

Ainda nos conseguem surpreender...

Pois é, hoje estávamos a almoçar quando uma voluntária recebeu uma chamada do dono da Tulipa a dizer que estava em Barcelos (mora em Viana) e que ia deixar a Tulipa na porta da FAT onde ela esteve. Voamos para Barcelos mas infelizmente já não o conseguimos apanhar, mas encontramos isto:
Portanto este srº deslocou-se a Barcelos, amarrou a Tulipa à rede , deixou o saquinho com um pouco de ração (que querido não é?) e foi-se embora.
Obviamente que o nosso departamento jurídico está já a tratar da questão e levaremos este assunto até ás últimas consequências.
Faltam-nos palavras decentes para mostrar o que sentimos quando vimos a Tulipa, completamente apavorada, sozinha, num local estranho e junto à estrada. Faltam também palavras para denominar um ser que toma este tipo de atitude. É triste ver onde chegam os supostos seres racionais não é? Pena que este tipo de pessoas só se meta com animais indefesos que não se podem defender e não com pessoas do mesmo tamanho que elas e com o mesmo tipo de defesa... São "pessoas" muito corajosas!

5 comentários:

Prof. Vanessa Gonçalves disse...

Bem... Estou sem palavras!!! A que ponto chegamos... :-(
Sinceramente, é nestes momentos que tenho vergonha de pertencer a esta raça que se diz racional!!!!
À linda Tulipa, desejo toda a sorte do mundo e que encontre alguém que lhe saiba dar o carinho e atenção que merece!
É triste não saber falar, é triste não se conseguir defender, é triste não ter direitos...
Espero que este senhor pague por aquilo que fez!

yorkbudy disse...

Cada vez tenho mais vergonha de pertencere a esta raça sem coraçao que é a raça humana

Manuel Melo disse...

Se vocês accionarem algo contra este dono, muito provavelmente isso não dará em nada - uma vez dirigi-me à GNR para um caso análogo e o agente ainda se riu na minha cara e disse que "era apenas um cão". Pior: pode ter efeitos contraproducentes. Ele deixou ração, prendeu o animal e avisou-vos. Fez bem? De modo algum, mas tenham cuidado com o que vão fazer ou o próximo dá-lhe um tiro, abandona-a no Gerês ou prende-a a um carril da via férrea - este, pelo menos, não lhe fez mal.
Cuidado: não é com vinagre que se apanham as moscas.
Eu, se calhar, até fui mais radical do que vocês. Já levei porrada da polícia a defender animais, fui enxovalhado publicamente e ameaçado e ainda hoje sou alvo de chacota por ser vegetariano.
Estive na Greenpeace e se há coisa que me ofende profundamente é ver esses opinadores de sofá a chamar hippies, malandros e eco-terroristas aos meus amigos que andam na Antárctida a proteger baleias, longe do conforto do lar e das famílias. Só que reagir com violência não leva a lado nenhum.
Com as touradas passou-se a mesma coisa: quanto mais protestos fazíamos mais a tourada parecia ganhar terreno. Para o comum dos mortais, "quem não gosta não vai" - como se o touro fosse uma bola de futebol - e não há volta a dar. Todos sabemos que morrem 1000 (mil) pessoas por hora à fome, mas enquanto não nos morrer uma criança nos braços, a maioria de nós mantém-se insensível e indiferente.
Por tudo isso, eu pedia moderação e calma. Reagir com agressividade é dar um tiro no pé. Eu sei que vocês são pessoas jovens e bem intencionadas, mas tenham em conta que a esmagadora maioria das pessoas não funciona como nós. Mudar-lhes a maneira de pensar não é tarefa fácil - tentar fazê-lo à força pode até ser perigoso e contraproducente.

Cumprimentos,
Manuel Melo

Animais de Barcelos disse...

Boa noite Manuel,
muito obrigado pelo seu comentário e por pertencer a esta causa, para muitos minoritária, mas para nós justa e meritória da nossa dedicação. De facto é difícil que as autoridades façam algo quando se trata de animais mas cabe-nos a nós, enquanto cidadãos, fazer com que eles apliquem e façam cumprir a lei. E por lei abandonar um animal é crime! Infelizmente tem razão no que diz, que o próximo não avisa e poderá fazer mal ao animal, mas também não podemos deixar passar impune este tipo de atitude. Como tudo neste país, só se começarem a sentir que de facto este tipo de situação é penalizada é que começam a pensar duas vezes antes de fazer. No entanto a única forma de que o futuro seja diferente é investirmos na educação, na sensibilização das crianças. Temos já um planeamento de actividades nesse sentido embora por falta de gente a querer ajudar, esteja a ser difícil colocar em prática. Mas lá chegaremos. E um dia tenho esperança que deixem de olhar os animais como seres inferiores e passem a respeitá-los como merecem, e nesse dia eu deixarei de ter vergonha de pertencer a esta raça. Bem-haja. Patrícia

A Selva dos Animais Domésticos disse...

Olá!
Como deves saber sou tatolmente de acordo com o Senhor Manuel Melo!
O cão que fui recolher espancado pelo dono, na semana passada, apenas mo foi entregue porque o dono teve "medo" da GNR porque senão ficava a ver o cão como estava e nada podiamos fazer!
Infelizmente é assim...é o País que temos...com as Leis que temos...e as autoridades que temos!
Mas pior, pior é com os seres humanos que temos... :(


Não me esqueci de te mandar o que tenho que mandar...lol


Beijinhos e força para esta nossa luta!